Seta para esquerda, Audi pede passagem

É fato que dos anos 2000 a Audi foi ficando para trás em comparação a seus rivais, BMW Me Mercedes-AMG .  Ela teve seus momentos de glória no início da década de 90 com RS2, posteriormente S6 e RS4. Foram modelos de sucesso no Brasil, o RS2 virou ícone, S6 era (ainda é) bem raro e completo e a RS4 era a sensação, o carro do momento.

Depois disso veio uma LACUNA, talvez a própria marca em solo nacional largou mão dessas versões esportivas e dando ênfase somente em carros ‘de entrada’, juntamente com produtos que não batiam de frente com seus rivais. A Mercedes-Benz apostando no produto V8 Kompressor e depois soube usar muito bem o marketing em cima da C63 AMG e daí em diante começou a surfar na onda das 63 AMG (SL, E, CLS, S e etc..) que ainda são um sucesso. A BMW chutando o balde num V10 na M5 e M6 . E a Audi ? Estacionada no tempo em produtos e divulgação no Brasil.

Tudo começou a clarear por aqui com a vinda do R8 V8 e posteriormente o V10. Entre seus concorrentes, eles foram pioneiros em carros ‘superesportivos’ com alma italiana, talvez seja o carro alemão com mais alma italiana. Mais embaixo, S3 e RS3 também vieram com tudo, mas o fator mais importante... A AUDI NO BRASIL MUDOU ! Qual o foco da Audi no Brasil ? Qual segmento que eles estão querendo investir e apostar ? TODOS ! Antes eu via a Audi um passo atrás da Mercedes-Benz e BMW quanto a produto. Hoje eu vejo Audi e Mercedes-Benz lado a lado quanto a produto, cada um com a sua característica, mas bem semelhantes.

De um tempo para cá tive a oportunidade de conhecer um pouco como funciona a Audi aqui no Brasil, conheci o escritório deles, aliás, belíssimo local. E o melhor, conhecer alguns novos produtos. Vou comentar sobre os modelos RS6/RS7 que pilotando são muuuuuito parecidos e no final vou dar uma nota sobre a empresa em solo nacional.

O que elas têm de diferente esteticamente, a RS6 e a RS7 têm de parecidas no quesito dirigibilidade. Eu, particularmente prefiro a RS6, escolha bem particular mesmo. São carros que podem ser usados no dia-dia. Você coloca no modo ‘Comfort’, a suspensão fica mais macia, o volante amolece bastante, o carro fica bem fácil de usar. Eles não raspam em lugar nenhum, com certeza isso facilita muito o uso em nossa ‘bela cidade’.

Os carros esportivos modernos têm como característica ‘3 em 1’’, que seria: Um carro esportivo rápido, um carro para viajar e um carro para o dia-dia. E com RS6/7 não é diferente, você pode usar o carro no dia-dia, consegue pegar suas malas em casa, buscar sua esposa (filhos) e ir viajar. Na volta desta viagem, pode acordar atrasado para o almoço com seus sogros no domingo, pegar a estrada e chegar no horário com todas as bagagens.

A Audi tem o sistema que desliga quatro cilindros (Cylinder On Demand). O carro percebe que você não está usando nem metade da potência do motor, com isso, ele deixa funcionando apenas quatro cilindros. Quando o modelo aciona este sistema o carro fica bem econômico, mas, no uso prático, eu não achei tão econômico assim. Mas eu assumo, é difícil ter um V8 biturbo nas mãos e andar a 40 km/h.

Caso a sua ideia seja uso diário você terá um ‘problema’, ambos os bólidos chamam MUITA atenção. Pessoas acenam na rua, parabenizam, ou seja, você não consegue sair ‘’a francesa’’ de um lugar. Com certeza sua ausência será notada a partir do momento que alguém comentar ‘’Você viu aquele Audi saindo ali?’’ Isso pode também ser visto pelo lado positivo.

Continuando neste assunto. Eu disse acima que estes carros são bem parecidos com as AMGs concorrentes, mas, a principal diferença entre eles são os DETALHES ! Você consegue notar vários detalhes na carroceria do RS6/7, inúmeros que os tornam mais agressivos, nervosos e que provavelmente devido à isso eles chamam tanta atenção. Já, por exemplo, a Mercedes-Benz CLS63 AMG, tem design maravilhoso, uma linha que faz sucesso desde seu lançamento, mas sem esses ‘tais’ detalhes, do lado de uma RS7 ela fica muito comportada. Tem quem não goste do design da RS7, chegam a dizer que comparada com a CLS é um carro feio, isso é gosto, mas, uma coisa é inegável, a CLS é conservadora perto da RS7.

Vou dar um exemplo, vamos dar uma viajada e compararmos ambos modelos com crianças na escola, pode soar loucura, mas leiam. A CLS63 AMG é uma criança estudiosa, faz tudo certo, todos os deveres de casa, não conversa em sala de aula, não arruma briga, enfim, é uma criança séria e que cumpre o que promete, ou seja, tira sempre nota 10. Já a Audi RS6/7 é uma criança que brinca muito, não gosta de estudar, dificilmente faz dever de casa, anima a sala de aula, não para de conversar e fazer piadas, ou seja, é aquela criança ‘popular da escola’ que todo mundo quer ser amigo e que TAMBÉM tira nota 10. Eu acho que essa é uma bela comparação entre os dois, ambos tiram 10, mas qual é seu perfil ? Eu não gosto muito de comparar modelos, mas são dois carros que tem inúmeras qualidades, lindos, rápidos e esportivos.

Falando nisso, a performance deste carro é idêntica ou muito parecida a de seus concorrentes. Você coloca no modo ‘’Dynamic’’ e pronto, virou um carro de corrida, toda aquela sutileza do dia-dia é deixada de lado. A sensação de força passada para dentro do carro é muuuito grande, talvez devido ao que a Audi tem de melhor e já vem de anos de tradição, a tração Quattro. Essa tração é tão boa que fica até perigosa. Calma, vou explicar, a impressão que passa é que RS6/7 não tem limite, você pode entrar na curva que for que ele vai fazer. Incrível!!! Se você não tiver cabeça e noção, poderá correr algum risco achando que o carro vai fazer todas as curvas (olha que pode ser que faça hahaha). Enquanto Ferraris e Lamborghinis estão a 250 km/h cansando seus condutores, a RS6/7 está fazendo com que seus motoristas olhem e se assustem ‘’NOSSA, ESTOU A 250 KM/H em 8ª marcha em baixo giro ?!’’.

Falando em 8ª marcha, poucos sabem, mas a RS6 e RS7 não tem transmissão de dupla embreagem. Eles usam o Multronic de oito velocidades, que por sinal, um belíssimo câmbio. Ele não tem Launch Control, oficialmente, mas você poderá fazê-lo tentar chegar perto de um através da mesma forma que se faz em outro RS, desligando parcialmente o ESP, coloque a transmissão no modo Sport, pé esquerdo no freio e pisa acelerador. Não é um LC, mas, ‘’é o que tem pra hoje’’.

Acredito que o maior defeito deste carro é a falta de barulho no motor. Para quem está acostumado com os V8 pode ser que fale ‘’peraí, eu apertei o botão aqui para abrir as válvulas do escapamento’’ mas o barulho não mudou muito. O que salva um pouco são os estouros vindo do escape na redução de marcha e quando você tira o pé do acelerador, que lembra um retrocesso de carro de corrida. Mas mesmo assim poderia ser melhor.

Mas de que adiantaria a Audi lançar bólidos legais como esses que batem de frente com carros top de linha de outras montadoras se a empresa aqui no Brasil deixa de lado estes produtos? Aqui em casa já tivemos alguns carros da divisão esportiva da Audi e sofríamos com a falta de importância com os mesmos aqui. Hoje temos que bater palma, acredito que a empresa está no caminho certo com pessoas certas no comando. Pessoas que vão atrás e não que esperam bater na porta, pessoas atentas com mercado, com cabeça moderna, que não falam besteira, que assumem erros em seus produtos e parabenizam concorrentes e procuram melhorar.

O que antes era visto como ‘’vixi, casou com o carro’’, hoje, sem perceber, vemos um proprietário de Audi RS6, R8, S3 e olhamos com outros olhos, com respeito, pelo produto e pela imagem da marca no Brasil, que é muito importante. Quantas marcas aqui não dão certo, mas os carros são sensacionais. Vocês que leem minha coluna sabem que eu critico quando tenho que criticar, mas, rasgo elogios quando se deve elogiar.

Sem meias palavras, mas toda a equipe de marketing e imprensa da Audi está de parabéns, em especial ao Christian Marxen, que sempre foi muito atencioso comigo e acredito que com todos que o procura, são pessoas assim que o mercado precisa. Existem produtos que vendem sozinhos, esses novos carros da montadora alemã se encaixam nisso. Mas no Brasil precisaria deste empurrão feito através destes profissionais competentes e é isso que está acontecendo. Por isso o título da coluna: ‘’Seta para esquerda, Audi pede passagem’’, na minha opinião já deixou para trás muita gente e hoje está lado a lado com a Mercedes-Benz, que com méritos são os dois melhores produtos hoje.

Obrigado pela leitura;

Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, enviem um comentário abaixo.

Instagram: @eduschkair
SnapChat: edubsj

IMPRESSÕES: Mercedes-AMG GT S

IMPRESSÕES AMG GT S

Pessoal, eu vou começar com um novo ‘tipo’ de coluna. Normalmente, nós, que testamos carros, fazemos uma avaliação de performance, dados técnicos, espaço interno e etc.. Mas não o de uso prático, ir jantar, ir ‘trabalhar’, uso diário, como se fizesse parte da minha rotina e não repetir o que o Press-Release da montadora diz.

Durante o 7º Passeio e Encontro de Amigos, eu tive a oportunidade de ir dirigindo a Mercedes-AMG GT S de São Paulo até São Roque, voltar para a capital e ainda usa-la por dois dias. Eu usei o bólido como se eu o tivesse há algum tempo, coloquei as minhas músicas, memorizei o banco. Fiz a rotina de final de semana de praxe (Almoçar – Bar – Voltar para Casa – Encontrar os amigos - Jantar – Festa).

Olha, fazia MUITO tempo que eu não me impressionava com um carro deste jeito, a GT S  realmente me espantou em alguns aspectos. De um tempo para cá, a Mercedes tem mudado a sua personalidade, aquele slogan da concorrência que ‘’Mercedes é carro de velho’’ foi deixado para trás de uns anos para cá com o lançamento da GLA , CLA, nova Classe A e novas AMGs realmente foi carimbado isso.

A sua tocada, seus traços, sua personalidade mudou MUITO. Em casa sempre tivemos Mercedes na garagem, três gerações de Classe S, três gerações de Classe C, um pouco mais esportivo, tivemos uma SL e hoje possuímos uma C63 AMG. E posso dizer que o carro que eu dirigi não TEM NADA A VER com os outros modelos dirigidos em gerações anteriores. Até em comparação das atuais gerações, nada a ver, outro carro.

Não gosto de comparar com concorrentes, muito menos citá-los, mas... Bicho ficou feio... A Mercedes pegou pesado. A roda dianteira é BEM GRUDADA no final do parachoque, ou seja, a AMG GT não raspa em lugar nenhum, acreditem, não raspa!! A minha garagem é bem ingrime, tanto que nossos carros mais baixos não ficam aqui, a GT desceu e não raspou.

Por mais que você coloque o carro do modo COMFORT, suspensão ‘macia’, trocas de marcha no modo automático e etc.. O carro é completamente esportivo, está EM TODO MOMENTO ESPERTO! (Devido a posição dos turbos ''Hot Inside V'' ). A partir do momento que você senta, o encaixe do banco e a conexão sua com o volante já percebe-se, ‘’É UM CARRO ESPORTIVO’’.. apesar do nome ‘’GT’’ , o pessoal da Alemanha deixou de lado as duas siglas de lado e foi para ESPORTIVIDADE.

Mesmo com toda essa esportividade citada o carro é usável, fui jantar, passei em lombadas, valetas, andei pelas ruas do jardins (onde existem todos esses obstáculos), peguei trânsito e peguei chuva, podemos dizer que foi um teste completo. O comportamento da AMG GT S é ótimo. Para ser sincero, isso não é mérito somente da Mercedes, 90% dos carros esportivos hoje são usáveis no dia-dia. Mas o que se reclamava muito da SLS AMG, ''ela raspa embaixo, ela pega ali, ela raspa aqui'', isso acabou.

Apesar da cor escura, de noite ainda fica mais escuro, o carro chama muita atenção das pessoas, não sei se porque não estão acostumados com este modelo, mas o ronco do motor é MUITO encorpado em baixa e saindo parado o carro lembra bem as Ferraris de câmbio F1 com embreagem simples, ele levanta o giro, ele faz com que o motor trabalhe para o carro sair do lugar, isso faz com que chame mais atenção ainda devido ao seu ronco encorpado.

As pessoas que conheço que tem carros esportivos, mas que não são tão ‘ligadas’ nos noticiários automobilísticos me perguntavam: ‘’Mas que carro é esse?’’ ... ‘’Nunca vi carro igual’’... ‘’Um dos carros mais impactantes que eu vi’’... E eu tenho que concordar com eles, olhando por foto algumas pessoas falam que ‘’não gostei muito da traseira’’, mas AO VIVO o negócio é outro.. é MUITO impactante mesmo, sabe quando você olha para uma coisa de relance ai você para e olha de novo... essa era a reação das pessoas ‘’aaah, uma Mercedes (legal).... (olha de novo)... NOSSA!! que Mercedes é essa????’’

Andando um pouco mais forte com ela posso dizer que foi mais do que eu esperava. A gente se acostuma a dirigir carros forte e vamos dar como exemplo carros da própria marca.. CLS63.. S63.. carros biturbo... a gente acaba perdendo um pouco a referência pelo fato do altíssimo torque. Então quando eu fui dar aquela pisadinha eu estava esperando aquele coice forte, mas não foi bem assim, foi bem mais que isso, o torque entra de uma vez e o motor enche e não para de crescer, realmente assustador. Fazer um Race Start (L.C.) neste carro assusta, ele não perde tempo, te joga para trás e em um curto espaço você não consegue ir no limite. (Vocês poderão ver no vídeo abaixo gravado pelo William Raphael do Exclusivos no Brasil).

 

Parecia que eu nunca tinha andando em um carro forte deste jeito e ORIGINAL. Por ser tração traseira a sua tocada é BEM esportiva, colocando na suspensão mais dura, modo RACE e etc etc etc.. o carro fica BEM DURO MESMO, não é aqueles que fica ‘’mais ou menos firme’’, o RACE é para PISTA, dentro da cidade você vai sofrer, fica BEM DURO. Outra coisa que pode parecer besteira, mas para mim dá um toque a mais de esportividade, RETROVISOR ALTO, parece que você está sentado no chão, lembrando as Ferraris mais antigas.

Sim, é um carro usável, para todos os perfis de pessoas, aqueles que gostam de carro esportivo mas não gostam de acelerar, aqueles que amam acelerar, aqueles que gostam de beleza, acabamento, som (sistema de auto falante DE OUTRO MUNDO), espaço interno... enfim, é um carro ESPORTIVO e USÁVEL !!!

Eu ouvi uma frase esta semana comparando a Mercedes-Benz ao fabricante de relógios, Patek Philippe. ''Ambos eram para pessoas mais velhas'', fazendo menção aos novos modelos da Mercedes e o Patek Nautilus.

Finalizando, andar na AMG GT S fez com que eu me sentisse em um carro esportivo, realmente esportivo e que dá para ser usado no dia-dia, desde ir trabalhar até sair com os amigos de noite. Aonde ele for ele estará ao mesmo nível que Ferrari, Porsches, Lamborghini, não importa a ocasião, seja em um jantar, seja na pista, seja na estrada e seja numa festa.

Vejam algumas fotos do carro enquanto eu estava com ele e algumas de divulgação da Mercedes-Benz.

Qualquer dúvida, critica, ou sugestões -> eduardo@motorgridbrasil.com
Sigam-me no instagram: @eduschkair

Esta coluna é um oferecimento da Itatiaia Mercedes-Benz (11) 4166-2222.

 

O Divertido 'AMG Experience'

Nossa! Quanto tempo eu não escrevo aqui. Será que perdi a prática? Hahaha tomara que não. Esses eventos (PEA) estão ocupando bastante meu tempo, graças a Deus. Bom, o que seria de tão bom e interessante para eu voltar a escrever ..? Óbvio, tivemos muitas notícias, repercussões e tenho muitos assuntos para escrever aqui, falar sobre o Nei Tessari, novo chefe de Marketing da Via Italia e que está encabeçando novos caminhos para a marca que eu mais amo.

Mas enfim, vou falar sobre um evento SENSACIONAL que ocorreu na semana passada, o AMG Experience, organizado pela Mercedes-Benz do Brasil dos meus amigos Rodrigo Soares, Andrezza Zago, Henrique Guazzeli, Leo Castanho e Anny Carboni, que com certeza são o alicerce da marca no país.

O evento ocorreu no autódromo de Velo Città, Mogi Guaçu, cerca de uma hora e meia da capital paulista. Antes de falar do que aconteceu na pista, vamos citar as duas estrelas da semana: AMG GT S  e C63 S, meu Deus, que carros!!! Tive a oportunidade de pilotar o novo coupe esportivo da marca, um carro completamente diferente de todas Mercedes que eu dirigi e mesmo assim sem perder a característica da nova geração AMG, ela consegue ser bem grudada no chão, tem MUITA força e é completamente domável. Em outro texto falarei detalhes deste belíssimo bólido.

Nossa, é difícil começar a falar, são tantos fatores positivos. Vamos iniciar falando do ambiente. Isso é uma das coisas que eu mais me atento e que mais me agrada, o clima amistoso, amigável, reencontrar amigos, dar risada. As pessoas de dentro da Mercedes estão de parabéns, eles conseguem criar um laço com clientes e não-clientes que nenhuma outra montadora do país consegue. A amizade vai além das pistas, empresas, vendas.. É nítido que quando as pessoas se sentem bem, ‘’em casa’’.

Quanto à organização, NOTA 10!!! Meus parabéns aos responsáveis, os convidados conseguiram extrair o máximo de diversão, não ouvi uma reclamação, todos saíram satisfeitos com gostinho de ‘’quero mais’’. Antes do evento alguns pensavam que seria aquele ‘’banho Maria’’, que não pode acelerar, não pode entrar forte na curva, não pode isso, não pode aquilo... Mas muito pelo contrário, ‘’não pode andar devagar, não pode economizar freio, não pode passear’’, outro diferencial.

Ahhh, quase ia esquecendo... Eles ainda prepararam um dia somente para as mulheres! A ‘Sexta-feira’ delas, com a presença de nada menos que da Claudia Leitte. Todas as convidadas aceleraram as AMGs na pista, tiveram massagistas e outros mimos.

Sinceramente? Está entre os melhores programas automobilísticos que eu participei até então. Foi uma grata surpresa, fiquei orgulhoso de ter chamado alguns amigos para comparecer e todos saírem felizes. E eu sempre acreditei nesta equipe, sempre! Minha confiança sempre foi 100%, pelos Top Night, lançamento Classe S e outros que a MB organizou, nunca teve falha, nunca teve um ‘A’ para se falar. Fico muito contente e me sinto prestigiado pela marca, desde os primórdios sou convidado para as melhores festas, fiz amigos, amigos que eu converso semanalmente, torço pelo sucesso deles (ainda mais do que já fazem) e não é a toa que a Merecedes-Benz é a TOP 1 no Brasil em comparação a seus concorrentes do nicho.

Gostaria de agradecer aos Motorgrid Members que estiveram presente. Parabenizar meus amigos citados acima que trabalham na montadora pelo AMG Experience e também ao Ricardo Fanin pela parceria, pelo companheirismo e pelas risadas.

Em breve irei postar todas as fotos e vídeos do evento em uma publicação no portal.

Sigam-me no instagram: @EDUSCHKAIR

ATÉ A PRÓXIMA.

'Como se chamará a 911 Turbo ?'

Estive conversando com uns amigos sobre o assunto, todas as versões da Porsche 911 receberão motores sobrealimentados por turbocharger (menos a GT3 RS). Quem acompanha minha coluna sabe a minha opinião a respeito disso.

Não tenho nada contra motores turbinados, afinal eu amo carro turbo e sou proprietário de um sedan que é movido por duas turbinas e realmente eu adoro esse carro, seu torque, sua tocada e a sua resposta são impressionantes, você consegue brincar bastante e sem estar em alta velocidade, apenas com baixo giro, é engraçado. O que eu sou contra é que cada dia que passa a tradição dos velhos e bons esportivos são jogadas no lixo.

Ok! Vamos pensar no futuro, emissão de CO2, potência, motores de baixa cilindrada com alta potência.. ok ok ok... Mas eu ainda acredito na tradição, eu ainda acredito nas características dos carros e o porquê eles se tornaram famosos, isso se chama HISTÓRIA! A Porsche, Ferrari e etc... estão jogando isso no lixo.

Será que realmente não tinha como estudar uma maneira de continuar com motores aspirados? Ou as empresas/proprietárias não querem colocar a mão no bolso para investir em um novo propulsor aspirado que emita menos CO2  que seja tão eficiente no consumo de combustível como os turbinados, ou, que pelo menos chegue perto disso. Eu acho que é isso, existe uma certa pressão com as palavras LUCRO – VENDAS – POUCO GASTO – MUITO GANHO - METAS. Se eu fosse dono eu pensaria igual, mas infelizmente sou apenas um amante das mesmas.

A Ferrari está caminhando em passos largos com a saída de Luca di Montezemolo e a entrada do Sergio Marchionne na presidência da empresa, se preparem, tempos ruins virão, começando este ano que aparecerá a sucessora da 458 com motor biturbo, dependendo do andar da carruagem em alguns anos virá um modelo com  V6 biturbo.. Não sou Porscheiro, alguns sabem da minha opinião, mas realmente fico preocupado com futuro das marcas e seus carros..

Se querem colocar motores turbo, coloquem em modelos com menos tradição ou até criem um novo, no caso da Ferrari, deixem o motor turbo na California. Mas jogar fora uma tradição toda, uma história toda que fez com que essa marca chegasse aonde chegou é no mínimo um crime. Eu acho que essa coluna é mais um desabafo insensato do que um texto com lógica, mas é isso! É o que eu penso.

Eu li esta frase no site CarBuzz, estou usando-a como titulo desta resenha e resta perguntar uma coisa para o pessoal da Porsche. ‘Como se chamará a 911 Turbo se todas as 911 serão turbo?’

Sigam-me no instagram: EDUSCHKAIR
Sigam o MOTORGRIDBRASIL no instagram.

Qualquer duvida, crítica ou sugestão enviem um email para : eduardo@motorgridbrasil.com
Até breve,

Eduardo Schkair

Conhecendo: Nico Rosberg; Ferrari California T e Salão

Semana do Automobilismo no Brasil

Muita gente deve ter odiado a última semana. Imaginem, o trânsito de São Paulo já costuma ser caótico. Raras tempestades aconteceram no final da tarde, juntando com SPFW, Salão do Automóvel e Fórmula 1, em suma, a cidade parou. Na quinta-feira eu demorei cerca de duas horas para sair da região do Itaim até o Salão do Automóvel.

Bom, mas como nós somos amantes de automobilismo, ADORAMOS a última semana. Em época do Grande Prêmio do Brasil o clima fica diferente, não explicar exatamente, sei dizer que fica uma certa expectativa no ar, seria a Copa do Mundo de quatro rodas.  Quando junta Salão do Automóvel com F1 então... é uma festa!!

Vamos começar falando do Salão.

Um dos melhores desde a época da falecida Platinuss, sim, aquilo era divertido. Aquele stand com carros dignos de grandes Salões europeus, Pagani, Koenigsegg, Lotus e Spyker. Fora que naqueles tempos ainda tínhamos stands de Ferrari e Lamborghini. Mas mesmo assim, foi um belíssimo evento, com algumas boas novidades como:

BMW M4, BMW X4, BMW i8, Audi TT, Mercedes-Benz S63 AMG Coupe, Mercedes-AMG GT-S, Range Rover SVR, Jaguar XE, Ford Mustang, Porsche 918 Spyder, Porsche Boxster/Cayman GTS, Lamborghini Huracán, Rolls-Royce Wraith.. entre outros..

Outro destaque foram as áreas VIP dos stands, pude visitar algumas delas, mas as que mais me agradaram foram as da Mercedes e Porsche. Realmente estavam ótimas. Acredito que a da Mercedes esteve um passo a frente, as vezes pode ser pela amizade que tenho com algumas pessoas que lá trabalham fato mesmo que não tenho na outra montadora alemã.

Não podia deixar de comentar os carros que ME chamaram atenção: Mercedes-Benz AMG GT-S, durante sua apresentação oficial e por fotos eu não havia gostado nada. Traseira feia, carro sem personalidade. Pessoalmente o papo foi outro, belíssimo bólido, as Porsches Carrera S terão trabalho. Range Rover SVR, estou apaixonado!!! Que carro!! Além de ser o SUV mais rápido de Nürburgring até então é o SUV mais agressivo, com detalhes de tirar o fôlego! Uma S65 das novas e uma RR SVR e meu álbum está quase completo. Esses são meus dois maiores destaques de automóveis no Salão.

Para finalizar, qerem saber o que mais me agradou  no evento? Conhecer Nico Rosberg! Agradeço novamente os organizadores da Mercedes-Benz, Andrezza Zago, Rodrigo Soares, Henrique Guazzeli e outros responsáveis pelo convite e oportunidade de conhecer o piloto. Realmente será uma coisa que não esquecerei.

Nico contagiou simplicidade, humildade e carisma. Acredito que além de ter conquistado o GP do Brasil, conquistou também os brasileiros que tiveram a oportunidade de estar perto dele. Tem piloto brasileiro que poderia aprender com ele como tratar o público, mas enfim, não vem ao caso.

Acho que o pessoal da Mercedes que estava no Salão e que esteve próximo a ele trouxe sorte e Rosberg venceu o GP do Brasil.

Ainda na quinta-feira tive a oportunidade de conhecer a nova Ferrari California, mais conhecida como California T. A Ferrari apresentou um modelo que volta com tudo, a sua linha sofreu um facelift, onde sua maior mudança está na traseira e foi o que mais me agradou no carro, além do novo motor V8 biturbo.

Eu sou contra a Ferrari instalar turbo em seus modelos, mas como eu vejo a California como um carro sem identidade da marca, sem o pedigree, criado apenas para arrecadar fundos. O motor turbo é justificável.

Mas a maior estrela da noite não foi a California T, mas sim Kimi Raikkonen. O carro ficou pequeno perto deste ídolo, desta grande estrela campeã mundial de Fórmula 1. Ao contrário de seu companheiro de equipe, Kimi demonstra simpatia. Pela segunda vez pude estar perto deste cara e ele continua com seu jeito ‘nem aí’, não se importando muito que vão pensar dele.

Uma pena que desta vez ele estava cheio de assessores e seguranças, mesmo assim pudemos perceber que ele não estava incomodado com a presença das pessoas e que por ele ficaria mais tempo na festa.

Muito provavelmente o ano de 2015 será ótimo para Kimi. Vettel entrará no lugar de Alonso, vejo que isso será um fator muito positivo para a equipe e para o finlandês. Fora isso tivemos festas e mais festas envolvendo Fórmula 1, montadoras do Salão do Automóvel e etc..

Obrigado pela leitura. E aguardem que em breve divulgaremos o 5º Passeio e Encontro de Amigos !!!

Sigam-me no instagram: EDUSCHKAIR
Qualquer dúvida, crítica ou sugestão -> eduardo@motorgridbrasil.com

Até algumas semanas, 

Eduardo Schkair

A Aposta da Mercedes-Benz

Na sexta-feira do dia 10 de outubro, a Mercedes-Benz apresentou em solo nacional a GLA. O evento ocorreu em uma famosa boate de São Paulo. Tirando o carro, a estrela da festa foi a cantora Claudia Leitte que foi escolhida como madrinha do SUV (Segue vídeo abaixo). A empresa teve o porque de sua escolha ser a 'Claudinha', vocês entenderão ao ler todo o texto.

Eu estive na festa, pude ver o carro de perto, verificar alguns detalhes. Inicialmente, as versões que serão comercializadas serão: GLA 200 Advance, por R$132.900,00; GLA 200 Vision, por R$149.900,00 e GLA 200 Vision Black Edition, por R$152.900,00 (Posteriormente deverão vir a 250 e 45 AMG). Ela aparenta ser menor que a Land Rover Evoque, parece uma Classe A tunadona, eu gostei.

Não estou escrevendo esta coluna para falar do carro GLA em si, mas sim da jogada que a Mercedes está fazendo. A montadora alemã quer atrair públicos mais jovens, ou seja, quer perder aquela imagem de que ‘Mercedes é carro de velho’ (isso não sou quem está falando, os executivos da própria marca confirmaram isso há algum tempo, mais precisamente na chegada da CLA). Eu acredito que isso já vinha acontecendo há algum tempo com a chegada da C63 AMG e outras 63 AMGs, mas agora eles estão entrando de cabeça nessa ideia.

Basta ver os novos modelos, Classe A, GLA, CLA... eles  são jovens e além disso, reparem como eles estão sendo oferecidos para os clientes. A sexta-feira do dia 10 é um exemplo disso, o carro foi apresentado por uma cantora jovem-pop, que seu maior público são pessoas joviais. Se falássemos há 20-30 anos, podem ter certeza que o lançamento do carro seria discreto, em um salão nobre com um apresentador estilo Roberto Carlos (Não que seja errado, mas mostra claramente qual a ideia da marca no mundo e o Brasil está abraçando isso e fazendo da melhor forma possível).

Eu arrisco dizer que no ano de 2015 a Mercedes do Brasil irá focar mais o marketing nos modelos ‘de entrada’ do que nas AMGs, justamente para atrair novos públicos para conhecer os novos produtos. Sabemos que normalmente (leia-se: NORMALMENTE) as pessoas mais novas não compram uma AMG. Primeiro motivo: Preço, muitos deles são dependentes; Segundo motivo:  dependentes dos pais, não dos amigos. Os carros são brutos, fortes. Logo, os pais levam consigo um certo receio de seu filho andar por ai com um haras de 500 cavalos. Por isso, eu acredito que este é só mais um motivo que hoje existem modelos sem ser AMG que tem um certo ar de jovialidade, com rodas maiores, parachoques agressivos, desgins esportivos e tudo isso por preço mais em conta. 

Antes víamos Classe C com linhas conservadoras, isso sem contar Classe E e S. Hoje podemos ver a nova Classe C bem mais atrativa para todos os públicos e foi o que eu disse acima, não precisa ser AMG. 

Sei que será um sucesso, alias, está sendo um sucesso, mas  mesmo desejo boa sorte para a Mercedes nesta empreitada. Eu disse para um grande amigo que trabalha em um concorrente alemão aqui em São Paulo que a MB está um passo a frente das demais, continuo com esta opinião. 

 Aguardarei ansiosamente para ver de perto os novos modelos que estão chegando.

Até breve;

Eduardo Schkair.

Qualquer dúvida, crítica, ou, sugestões -> eduardo@motorgridbrasil.com
Sigam-me no instagram -> @eduschkair 

Adeus Montezemolo; Ferrari Fiat Coupe à Caminho

Pessoal, minha coluna desta semana será sobre a saída de Luca di Montezemolo da presidência da Ferrari. Adianto: Péssima; Não gostei!!!

Quero deixar bem claro que essa coluna é uma opinião pessoal minha, não quer dizer que as coisas de fato vão acontecer, mas sim o que eu ACHO que vai acontecer após a saída do presidente.

Luca di Montezemolo está na Ferrari desde a década de 70, ele nada mais é do que uma criação de Enzo Ferrari. Ou seja, as ideologias de Enzo foram passadas para Luca para um dia substituí-lo. Foi o que aconteceu há 23 anos, Enzo Ferrari faleceu e Luca assumiu o papel mais importante da empresa.

Montezemolo tem um pensamento purista, gosta de carro com alma, em várias entrevistas ele ressaltou a sua paixão pelas Ferraris clássicas. Mas o ano de 2014 foi um ano péssimo e decisivo para ele. A equipe na Fórmula 1 não vem bem, as regras da categoria não agradaram o manda-chuva que chegou a reclamar publicamente e ameaçou sair da competição no próximo ano. Coisa que abalou o relacionamento da Scuderia com a organização.

Ele disse que a Fórmula 1 estava perdendo audiência justamente pela falta de paixão que existe dentro dela entre os responsáveis da mesma. O expectador quer ver o piloto ir ao limite do carro, gastar pneu, gastar gasolina e hoje em dia o piloto não pode acelerar tudo porque tem limite de reabastecimento e trocas de pneus. É no mínimo contraditório. É mais estratégia/tática do que talento.

Montezemolo disse em um pronunciamento oficial que ‘’A Ferrari terá um papel importante para o Grupo FCA e por isso o certo é o CEO do Grupo assumi-la’’. Ou seja, a Ferrari precisa começar a fazer a diferença para o grupo, ou seja, fazer dinheiro, igual a Maserati está fazendo. Ele sempre foi contra o aumento de produção para 10 mil carros, Luca queria diminuir ainda mais o número de unidades produzidas pela fábrica para 6 mil, a Fiat era contra, a Fiat visa o lucro, Luca visa a exclusividade da marca e o valor que ela representa.

Essa frase de Luca diz tudo, ele não quer ser o responsável pela mudança de identidade da marca. Ele não quer ser o responsável por derrubar e esquecer tudo que ele e Enzo criaram ao passar dos anos. Com certeza ele lutou contra isso, perdeu a guerra e tirou o time de campo.

Os Ferraristas estão do lado do seu ex-presidente, eles querem que o seu produto continue exclusivo, tanto é que a California é alvo de muitas criticas, pois se trata de uma Ferrari ‘barata’ e que não tem um apelo ferrarístico.

Quem irá assumir a Ferrari é Sergio Marchionne, presidente do Grupo FCA. Ou seja, agora sim, de vez, a Fiat mandará em Maranello. Podem acreditar, os rumores de carros V6 biturbo se tornarão realidade. Com certeza Montezemolo segurou o quanto pode e não suportou a pressão. Antes a Fiat era dona, agora é dona e ainda gere a empresa, ou seja, as regras virão de dentro da Fiat.

Tempo ruins virão, puristas, tempos ruins estão chegando rápido. Espero que Marchionne não jogue fora todas as tradições italianas, algumas ainda preservadas com o tempo e não faça da Ferrari uma marca de esquina, um carro de supermercado. Estou com medo do que está por vir.

Vamos torcer para que eu esteja errado e que ele consiga tornar a Ferrari ainda mais forte e que invista ainda mais na Fórmula 1 (Coisa que eu duvido e MUITO!)

Até a Próxima, Eduardo Schkair;

Sigam-me no instagram: eduschkair

Vejam fotos de Luca di Montezemolo na Ferrari:

Final de Semana Perfeito

O final de semana do dia 9 de agosto foi um dos melhores para os amantes de carros, principalmente para os amantes de esportividade. Que gostam de trocar ideias com pessoas e que tem amigos com gosto em comum.

No dia 8 de agosto aconteceu o primeiro Ferrari Driving Experience no Brasil e o III Encontro de Porsche 356 e 911. Dois eventos de deixar qualquer um de queixo caído. Eu tive o prazer e a honra de ser convidado para os dois, uma pena que no sábado eu tive um compromisso inadiável e não pude ir até a Fazenda Boa Vista. Uma pena mesmo.

Nós estamos carentes deste tipo de evento. Precisamos mais disso, hoje em dia, a maioria dos encontros que temos são de disputa, premiação e etc.. Querendo ou não cria um certo revanchismo uma certa competitividade, nada contra, ás vezes é até gostoso. Agora quando as pessoas se unem para trocar ideias, rever bons amigos, conversar sobre a vida e dar boas risadas é sempre melhor, estamos carentes MESMO disso.

A Oktane do nosso amigo Rodrigo, do Rio de Janeiro, nós do Motorgrid Brasil ainda tentamos fazer algo mais próximo disso, eles com os seus Oktane TrackDay , que apesar da competição, nota-se um belo clima amistoso e também com seus encontros em Itaipava. Nós com os nossos P.E.A. (Passeio e Encontro de Amigos).

Só tenho que parabenizar aos responsáveis por estes dois eventos que ocorreram no final de semana. Sabemos que não é nada fácil organizar algo assim desta grandeza, mas eu, por meio deste texto me coloco a disposição no que for para ajudar a acontecer mais. Sei que as pessoas que estão no comando são bem competentes e muito melhores do que eu para isso.

Vivemos num país que se formos pesar os prós e contras de ter um brinquedo deste na garagem, ninguém teria. E são coisas como essas que nos faz animar cada vez mais, buscar alguma ‘inspiração’ ou até ‘vontade’ de continuar vivendo nesse mundo. De querer mais, ou até de não desistir.

Disse anteriormente lá em cima do texto que não pude comparecer ao evento do meu amigo E.B. , mas fiquei com água na boca ao ver as fotos. Não só dos carros, mas sim das pessoas, famílias e amigos. Isso é o principal! Estarei no próximo com certeza, serei o primeiro da fila para pegar o meu ingresso.

Não foi diferente no Velo Città com a Ferrari. Vimos muitos pais e filhos na pista, os vimos conversando, dando risada, dividindo o carro. Vimos a sempre querida Viviane Polzim e sua equipe trabalhando para manter a maior harmonia possível e fez isso com maestria e muito êxito. Todos saíram satisfeitos e aguardando ansiosamente o próximo.

Fica aqui meus parabéns para os responsáveis, organizadores e participantes destes dois eventos.

Em tempo: Em breve nós divulgaremos a data e local do 4º P.E.A.

Até a próxima.

Eduardo Schkair

Instagram= eduschkair

Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, enviem um e-mail para : eduardo@motorgridbrasil.com

O Trio de Ferro Alemão: Audi , BMW e Mercedes-Benz

Desde pequeno meu pai me falava: ‘’Carro é alemão ! Relógio é Rolex...o resto é grife’’. Eu Tenho que concordar com ele. Tivemos e temos experiências com carros fabricados em outros países, carro italiano, britânico, japonês, francês, norte-americano, coreano, brasileiro e ALEMÃO... Com certeza automóvel é alemão. É o mais bem feito, é mais usável e normalmente são os criadores da tecnologia. 

Temos algumas marcas alemãs de primeira qualidade, como Porsche e Volkswagen, mas eu irei comentar sobre outras três montadoras, Audi, BMW e Mercedes-Benz.

Em ordem alfabética, logicamente começarei falando da Audi. Uma empresa que tinha uma divisão esportiva muito forte da década de 90 e foi perdendo força nos anos 2000, após o RS4 B5. Muita gente acha que eles fizeram um downgrade em seus produtos, que eles são inferiores até aos seu antecessores. Nessa época (antes dos 2000), eles competiam lado a lado com as M Power. 

Eu vejo a Audi nos anos 2000 muito inferior aos seus concorrentes, enquanto a BMW e Mercedes-Benz vendiam que nem água a Série 3 e Classe C, eles perderam muito tempo com um A4 sem apelo. Eram salvos apenas pelo sempre justo e honesto A3. Aí então apareceu a nova geração, os A4 B8, A3 Sportback, Q3, Q5 e A5. Podemos dizer que eles voltaram a brigar no mercado. E falando em exterior, o RS6 briga pau a pau com as M5 e E63 AMG. Aqui no Brasil ainda falta tradição e confiança na marca, coisa que a Mercedes-Benz e BMW conseguiram em suas divisões esportivas. O mercado de usados dos Audis esportivos são terríveis. Embora isso esteja mudando devagar.

Mas tem uma coisa que a Audi tem há um bom tempo, coisa que nem a BMW e nem a Mercedes-Benz tem, um superesportivo de fato. O R8. Ele tem sido o diferencial da empresa em relação aos dois concorrentes. A Mercedes-Benz tentou com a SLS, mas, na minha opinião, não tem aquela pegada do R8. Eu tive a oportunidade de dirigir os dois carros, inclusive a SLS de maneira extrema na pista da Capuava. Somente agora, em setembro de 2014, a MB lançará o seu superesportivo, a AMG GT, motor V8 biturbo, com uma versão hardcore que passa dos 500 cavalos, vamos ver, ta prometendo bastante.

Para finalizar, a Audi hoje em dia tem uma gama de veículos muito boa, que vem desde o A1(na minha opinião sem concorrentes) até um A7 que briga forte com seus rivais. Principalmente o novo A3 e A3 Sedan. Os únicos modelos que eu ainda acho que estão longe de seus concorrentes é o A6 e o A8. 

BMW:

Das três marcas ela é a minha preferida. Pode não ser a melhor, não ser a mais confiável, não ter o melhor acabamento e conforto, mas, é minha cara, ou melhor, é a cara de todos aqueles que curtem um carro que respeita os seus comandos da forma mais agressiva e esportiva possível. Tem a melhor tocada, dá prazer em dirigir. Pode ser uma bimmer de 1990 até os dias de hoje, eles são ótimos.

Há anos a Série 3 é sinônimo de sucesso, recordes e mais recordes de vendas. A linha Motorsport que carrega a esportividade em carros usáveis no dia a dia. O maior problema da BMW é a durabilidade  e confiança de seus produtos, recalls e etc..

Algumas pessoas mais próximas a mim brincam que a BMW é Ferrari da Alemanha, pela manutenção e problemas diversos. Vou citar alguns exemplos, o modelo M5 E60, um dos mais divertidos da história da BMW, mas também um dos que da mais dor de cabeça. Quem aqui nunca ouviu falar em M5 E60 que fundiu o motor. Alias, vamos mais além, quem daqui nunca ouviu um amigo, ou, conhecido falar ‘’minha BMW deu pau’’, ou, ‘’tenho recall da minha BMW’’. Pois é, eu digo porque já senti na pele, digo também que é um dos melhores carros para se dirigir forte.

Você sabe o que significa B-M-W em alemão? Eu respondo, DIVERSÃO! Hoje em dia compete cabeça a cabeça com seus rivais. Só precisa fazer produtos mais confiáveis.]

Mercedes-Benz:

A melhor, pode não ser minha predileta, mas na minha opinião, num conjunto todo, somando os prós e contras, a Mercedes-Benz é a melhor entre as três. É que vem sempre evoluindo, normalmente está à frente no que se diz tecnologia e com certeza está a frente no que se diz CONFIABILIDADE. 

Quantas vezes vocês viram uma Mercedes quebrar? Normalmente por falha humana, algum mecânico que não realizou o serviço da forma que deveria, alguma falta de atenção do proprietário... Mas falha nas máquinas? Muito difícil.  Há alguns anos podíamos falar de boca cheia: 'Mercedes é carro de velho'. Ok.. Há alguns anos.. Até a montadora decidir lançar a C63 AMG. Daí em diante eles começaram a lançar produtos bem esportivos, a 'coisa' começou a mudar. Acredito que a AMG foi a divisão esportiva que mais evoluiu entre as três citadas. Antes, na década de 90, enquanto a Audi e BMW vinham forte, a AMG estava estacionada, mantendo a ideia de que 'Mercedes é carro de velho'. Com isso, começou a geração 63/65 AMG, e foi aí que o 'negócio' começou a andar firme.

Tudo bem que essa parceria começou somente em 1990, pouco tempo para se fazer produtos de altíssimo nível. Em 2005 a Daimler-Benz adquiriu toda a AMG, sendo assim a única proprietária. Em 2006 já foram vendidas 20.000 unidades em 18 modelos diferentes.

E não só nas versões AMG, vejam a nova Classe A, recém lançada CLA, e vocês verão em breve a nova Classe C. Vai ser um tapa na cara do A4 e da Série 3. Eu sou amante da Série 3, possuo uma Série 3, sempre preferi em relação a Classe C. Mas esperem alguns dias, este mês de Agosto a Mercedes-Benz lançará a nova geração da Classe C no Brasil, aí vocês vão saber do que eu to falando.

Vocês leram acima que eu havia falado do Audi R8, pois é, ele está ganhando um concorrente, talvez o único do 'Trio de Ferro'. Ele virá dentro de alguns dias também. A AMG GT será lançada via Stream para o mundo todo. Segundo a própria Mercedes-Benz, será um dos modelos mais belos de todos os tempos. Ele usará o motor da nova C63 AMG (4.0l V8 biturbo).

O que eu tenho a dizer? O que era superior vai ficar ainda melhor! Eu não sei se houve uma troca de Chefe de Produtos da Mercedes, ou, o que fizeram lá dentro, mas estão de parabéns pelas mudanças e criações de novos modelos, deixando assim cada vez mais para trás o paradigma de que Mercedes é carro de velho.

Podemos falar agora que Mercedes é carro de todos, homens, mulheres, velhos e jovens. 

Quero deixar claro que este texto transmite a minha opinião pessoal, não necessariamente é a realidade de fato. Resumindo: Eu prefiro a BMW; acho a Mercedes-Benz melhor;  creio que a Audi está a passos largos para se equiparar com seus rivais, hoje voltou a fazer sucesso em mais de dois modelos (no Brasil).

Até a próxima;

Qualquer crítica, dúvida, ou, sugestão, enviem um e-mail para eduardo@motorgridbrasil.com

Sigam-me no instagram: @eduschkair

Eduardo Schkair Jr.

 

 

A Genial Equipe de Marketing da Jaguar

Jaguar-Logo.jpg

A coluna desta semana foi decidida de ultima hora, quando chegou por email uma pauta muito boa. Eu a descrevo como SENSACIONAL, ela me surpreendeu tanto que eu decidi fazer uma coluna sobre ela.

Ultimamente a Jaguar está pegando pesado em propagandas envolvendo carros de montadoras concorrentes. Começou na Mercedes-Benz Classe S, depois passou para a Maserati Ghibli e agora eles estão sendo mais geniais ainda. (vejam abaixo os comerciais provocativos em relação a MB).

Os britânicos estão usando os próprios concorrentes para fazer propaganda do seu novo produto. Quer entender melhor? Foi flagrada uma BMW Série 3 totalmente camuflada, ou seja, quem olha de longe já imagina: ‘’Olha, uma versão nova da BMW Série 3 em testes!!’’.  Para a pessoa descobrir que aquilo é uma BMW Série 3, no mínimo ela tem uma Série 3, ou ela gosta do modelo e ou ela é um amante de automobilismo, pois, o carro está todo camuflado. Ou seja, é cliente ou um potencial comprador.

Na porta do carro está escrito Der-Neue.com, que traduzindo do alemão é O-Novo.com. Ai fica a certeza de que estamos falando de uma nova versão da BMW Série 3. Vamos lá, eu sou um amante de BMW e quero comprar uma Série 3, logo, serei curioso o suficiente para pegar meu smartphone e entrar no website.

Ao entrar no website eu me deparo com uma situação estranha... aparece um layout da JAGUAR?! Sim!!!! Bingo!! Genial!! A Jaguar está usando o próprio concorrente para roubar clientes! Eu achei a jogada do ano! Perfeito!!

Vale a pena lembrar que eles estão lançando um novo modelo, será chamado de XE, ele irá concorrer com BMW Série 3, Mercedes-Benz Classe C e Audi A4.

Se a Jaguar parou no tempo no começo dos anos 2000, podemos dizer que essa nova equipe de marketing está andando lado a lado com seus novos produtos, ou seja, inovadores, brilhantes.. Parabéns!! Algo que realmente me surpreendeu e que fazia MUITO tempo que eu não via.

Eu assumo que repudiava os Jaguares do começo dos anos 2000. Meu pai teve XJ, S-Type e X-Type, não gostava de nenhum. Mas hoje a história é outra, se depender de mim serei um incentivador para ele comprar um XF, sou apaixonado pelo modelo.

Trata-se de uma disputa sadia, uma concorrência sadia que faz com que seus 'rivais' aguçam a mente. Você ter um concorrente forte te faz querer ser forte.

Vamos esperar para ver a reação das outras montadoras, pois, rumores dizem que eles também estão usando Mercedes-Benz Classe C e Audi A4.  E novamente PARABÉNS para a Jaguar!! Excelente !!

Obrigado pela leitura de todos. Até a próxima coluna

Qualquer duvida, crítica ou sugestões, enviem um email para: eduardo@motorgridbrasil.com

Sigam-me no Instagram: @eduschkair 

Eduardo Schkair

Instagram

Compreendendo a Ferrari 456

Era para ser uma noite de terça-feira normal. Um amigo me liga e combinamos de jantar.  Pela primeira vez eu ia andar de Ferrari 456, um modelo diferente e podemos dizer que é raro 3.289 unidades fabricadas, sendo que apenas 12 em solo nacional (dessas 12 algumas não estão mais entre nós e por algum milagre da natureza, ressuscitaram).

No banco do passageiro você até esquece que está a bordo de uma Ferrari, um banco extremamente confortável, um belo espaço para as pernas, dois bancos traseiros e sem aquele ‘barulho’ alto em porto morto. Por se tratar de uma 456 GTA, que foi equipada com câmbio automático, você nem sente as trocas de marcha.  

Com o câmbio automático ela perde um pouco a esportividade, porém, fica bem prática, sem aquele pedal duro de embreagem com engates difíceis. Uma pena que no Brasil o carro perde um pouco sua proposta de dailycar, pelo fato das nossas ruas horríveis, valetas enormes, estacionamentos não programados e a violência.

A 456 tem um problema mais complicado que a das outras Ferraris, ela sofre mais que uma 430 Scuderia com valetas. O seu radiador de água fica na frente do carro, à frente do motor e é a parte mais baixa do carro. Ou seja, se você raspar o ‘bico’ da 456 (e com certeza um dia irá raspar) você não estará raspando o parachoque ou alguma proteção, mas sim o radiador, uma hora ele vai furar e sua vida se tornará um inferno daí em diante.

Saindo do restaurante eu tive a oportunidade de dirigir o Cavallino. Acima eu disse que você sentado do lado do passageiro você acaba esquecendo que está numa Ferrari, mas dirigindo é impossível deixar passar batido, impossível você não ver o Cavallino Rampante no volante e não se tocar e pensar ‘Estou dirigindo algo histórico, estou dirigindo uma Ferrari’. Sempre que você dirigir uma Ferrari, mesmo que você não goste, pense: ‘Estou dirigindo algo que marcou história’. Toda Ferrari tem sua história, tem sua glória.

Acelerando a 456, não sei se por causa do câmbio, até os 3-3.500rpm ela anda bem suave, sem torque, sem sensação de esportividade, talvez para se tornar mais confortável para o uso diário. Quando você pisa de vez, em alta, você sente a força do V12, ouve o barulho dos canecos. Não digo que é melhor ou pior que uma V8 central, mas posso dizer que é diferente. Nota-se que é capaz de fazer uma viagem bem longa sem cansar, já numa V8 central, em viagens longas o seu corpo está desgastado.

Assumo que antes de dirigir a 456 eu não entendia muito a sua proposta. O proprietário dela me falava: ''é um carro que eu uso sem cansar, que eu posso ir ao mercado, padaria, sem me cansar''. Depois de ontem eu entendi, ainda acho para o Brasil, infelizmente, a proposta é deixada de lado. E infelizmente TAMBÉM muitos brasileiros não valorizam o V12.

Eu fico imaginando o que era a 456 na época do seu lançamento, devia ser uma loucura. Vale a pena lembrar que o modelo foi desenhado pelo Lorenzo Ramciotti, do stúdio Pininfarina e essa linha durou de 1992 até 2003, com apenas pequenas mudanças estéticas e mecânicas. E até hoje é um desenho respeitado.

Agradeço imensamente ao S.C. pela oportunidade!!!

Qualquer dúvida, críticas, ou sugestões, enviem um email para : eduardo@motorgridbrasil.com

Sigam-me no instagram: @eduschkair


Acidentes envolvendo superesportivos... Por que?

Primeiramente querida me desculpar pela ausência. Problemas particulares, semanas de prova e etc.. A coluna desta semana irei falar sobre acidentes envolvendo carros superesportivos. Irei dar minha opinião sobre alguns tópicos bem comentados quando se toca neste assunto.

Muita gente fala: “Aaaaah, são muitos os acidentes envolvendo carros superesportivos’’. Sim, são! Mas não acho que é tanto assim como se falam, a verdade é que se dá total foco e ênfase quando se bate um carro superesportivo, que é compreensível. Vamos dar o exemplo da 458 Spider Grigio Silverstone que bateu em São Paulo há mais de um ano. Ninguém morreu, alias, ninguém se feriu.  E o assunto ficou no ar, em várias emissoras, durante dias, tudo por ser uma Ferrari.

Tenho amigos na TV Bandeirantes que entraram em contato comigo e perguntaram se o condutor era realmente o filho do Lula, apesar não ter amizade com ele eu sabia quem era a pessoa que estava atrás do volante, afirmei que não era o Fabio Luis Lula da Silva. E de prontidão a emissora localizada no Morumbi não falou mais nada sobre o caso, atitude louvável. Mas uma concorrente me ligou( não vou nem citar o nome, não merece este destaque) ficou pedindo para eu falar quem era, falaram que receberam uma informação que eu sabia quem era o condutor e etc.. Não passei o nome e ainda me tiraram do sério. Eu olhava o programa e dias depois o assunto mais falado ainda era da Ferrari, mas a curiosidade deles não era saber que o proprietário do carro estava bem, se alguém se feriu, mas sim saber QUEM ERA O RICO QUE BATEU O CARRO.

Este foi só um exemplo, se fosse um gol, seria relatado normalmente, com uma matéria de 10 segundos e minutos depois ninguém mais lembraria.

Outra coisa, esses carros potentes não são fáceis de dirigir, são carros ariscos, difíceis, onde exige mais atenção. Eles te instigam a correr, a dar aquela acelerada, com isso, muitos que acabam comprando uma Ferrari/Porsche/AMG já acham que estão dentro de um Fórmula 1 e o pior, eles (alguns) realmente acreditam que são pilotos. Não é bem assim, alias, não é NADA DISSO. Esse é um fato bem comum da maioria dos acidentes dos superesportivos. Ou seja, talvez em um carro 'normal', os condutores estariam andando dentro da velocidade permitida, mas, sentando no banco concha, o pé esquerdo formiga...

Outro fator determinante: não conhecer o seu carro. Sendo assim, o veículo, objeto de lazer se torna uma arma. Pessoas sem a menor noção pegam carros de 400, 500, 600 cavalos e não sabem o que tem na mão. Vou dar um exemplo de um amigo bem próximo, não vou citar o nome e muito menos o carro ( se ele ler isso, vai me ligar em 1 minuto haha, não fique bravo meu caro).

Há cerca de dois meses, ele tinha acabado de comprar o carro, tração traseira, original com mais de 500 cavalos. Estava garoando, ele acelerou saindo do farol, logo em seguida tinha uma curva, ele não tirou o pé. O carro saiu de traseira e atravessou de lado a curva, ele sem reação nenhuma deixou que o Controle de Tração segurasse o carro. Ainda bem que não aconteceu nada. (Obs: tenho isso em vídeo haha).

Perplexo, chegando no restaurante ele me perguntava ‘’Por que meu carro fez aquilo?’’ .. Eu expliquei para ele e ele  com uma interrogação na testa‘’ Mas o que é tração traseira? O carro joga assim em qualquer curva?’’.. Nessa hora eu pensei: ‘’Meu amigo, você não sabe o que tem nas mãos, dirige devagar isso''.

Aaaah, estava quase me esquecendo. Eu pensei em escrever esta coluna após os acidentes com uma Ferrari 458 Italia Oakley Edition e uma Ferrari 355F1 GTS, ambas no Brasil. E DECIDI escreve-la após um acidente que ocorreu na Avenida Europa, logo após o feriado do trabalho. Pessoal, 80% das pessoas que possuem um carro esportivo não andam devagar, nem sempre velocidade é sinal de imprudência, mas pessoal, acelerar numa via congestionada, cheio de gente, ocasionar o acidente e fugir..???? Eu, Eduardo, acredito que o proprietário do Subaru não tenha fugido por má intenção, mas sim por desespero e sem saber o que fazer.. Mesmo assim não concordo, não acho correto...

Acreditem se quiser, eu NÃO CONSIGO terminar esta coluna, estou há semanas, sempre acontecem acidentes novos, mas não vou comentar, minha opinião está dada acima, com os ocorridos há algumas semanas.

Graças a Deus e aos engenheiros, os carros estão cada vez mais seguros. Não sei se sou o melhor exemplo para falar isso, mas, lugar de acelerar é na pista.

 

Os 30 anos da BMW M5

Pessoal, a minha coluna desta semana fala sobre um dos meus carros prediletos, um dos maiores sinônimos de esportividade com elegância, que segue a famosa frase da moda 'Sexy sem ser vulgar'. Em alguns momentos... bem sexy... em alguns momentos... bem vulgar...

Em 2014, a BMW comemora TRINTA anos de existência da M5.. Eu como amante de sedan esportivo não posso deixar passar batido uma data TÃO importante, onde todas suas gerações tiveram sua importância e deixaram algo de bom.. você que gosta de sedan de porte médio/grande, gosta de velocidade, impossível não gostar da M5.

Ela sempre teve um apelo mais esportivo perante aos seus concorrentes, sempre deixou de lado algum quesito acabamento de primeira (em comparação aos concorrentes) para extravasar no motor, escapamento, câmbio esportivo e complicado.

De todas as gerações, eu tive a oportunidade de dirigir duas delas, as duas últimas, a E60 e F10, portanto, eu não tenho muito que destacar nas versões anteriores, mas sim contar marcos históricos e designs.. 

M5 E28

Alguns consideram que a M535i de 1980 é a primeira M5, mas não, a primeira foi apresentada em fevereiro de 1984 no Salão de Amsterdã. Na carroceria E28, ela teve apenas 3 anos de produção. Foi utilizado o mesmo chassi da 535i e um motor 3.5l de seis cilindros atualizado da famosa M1. Com isso, na época, ela era o sedan de produção mais rápido do mundo. Foram fabricadas apenas 2191 unidades do modelo, trata-se de um dos carros M Power mais raros da BMW.

M5 E34

Um dos desenhos mais charmosos da BMW, na minha opinião, um dos sedans mais belos que a montadora alemã já fez. Aquele espaço entre os faróis e a grade dianteira e até mesmo as lanternas traseiras dão um ar a mais de esportividade, mas o desenho lateral do carro, com traços quadrados mas já puxando para o arredondado dão o maior charme que esse carro tem. Ela teve os motores S38B36 e S38B38, o primeiro citado era um 3.6l de seis cilindros com 311hp (na versão europeia) e em 1991, quando entrou o 3.8l de seis cilindros a sua potência saltou para 335hp (versão europeia). Com esse último motor, mais moderno e potente, a M5 realizava o 0-100 km/h em apenas 5,7 segundos e tinha uma velocidade final de 280 km/h. Para terminar as sua glórias, a VDS Racing Adventures usou a M5 E34 em corridas de Endurance com o motor S38 (3.8l) reproduzindo cerca de 350hp, ele foi vice-campeão na Bélgica de 2001 e em 1992 na 12 hrs Australian Bathurst ficou em 2º lugar na colocação geral e 1º na sua classe, um dos pilotos foi Alan Jones (F1).

M5 E39

Entramos na M5 da Madonna!! Esse carro ficou marcado pelo comercial realizado pela BMW onde a Madonna foi a atriz e com certeza foi uma das maiores jogadas de marketing da empresa, dificilmente veremos HOJE EM DIA uma sacada tão boa (vocês verão o comercial abaixo, logo após este texto). Ela foi apresentada em 1998 no Salão de Genebra e foi na E39 que  a M5 recebeu pela primeira vez um motor V8. Ao contrário de seus antecessores, essa M5 foi produzida na mesma linha de montagem que as outras versões da Série 5. Com isso, o aumento significativo nas vendas veio: total de 20.482 unidades. O famoso motor V8 recebeu o codinome de S62, ele reproduz 394 cavalos. Foi nela também onde a BMW jogou toda tecnologia da época, ABS, Controle de Estabilidade, botões ‘SPORT’ que aumentavam a resposta do acelerador e volante. Para o conforto, o modelo vinha com GPS, DVD, TV e etc.. O seu 0-100 eram feitos em incríveis 4,8 segundos e uma velocidade máxima limitada a 250 km/h, porém, ela é capaz de chegar aos 300 km/h.

M5 E60

A menina dos meus sonhos, a minha predileta!! Pode não ser a mais bela, mas, dentro dela, dirigindo-a, eu não irei ver seu exterior.. Talvez a M5 mais problemática e mais perfeita já feita pela BMW. Aquele motor V10 que soa como uma Gallardo em nosso ouvido, aquela transmissão manual-automatizada de sete marchas. Em 2005 a BMW deu salto na frente de seus concorrentes, era O CARRO a ser batido e ficou por um bom tempo neste status. O motor mais divertido de todos 5.0l V10 com 500hp (S85), porém, um dos mais problemáticos.. mas edaí ? Tem quem não goste do SMGIII, eu adoro! É um carro que transmite frieza, apesar de dura, você pode ir trabalhar com ela, pode ir num jantar, ou seja, ele pode ser um dos carros mais dóceis, porém, se você quiser, ele pode se transformar num dos maiores monstros, parece que você está dentro de um coupé superesportivo. RIP V10... agora vivemos a era dos TWINTURBO...

M5 F10

Sem querer tirar os méritos, a M5 E60 é minha paixão, eu deveria ter escrito sobre a F10 antes da E60. Não sei, agora está difícil falar sobre você, moderno V8 TT. É rápido? Sim ! Bem rápido...Mais usável ? Sim... BEM MAIS usável.. Mais belo? COM CERTEZA!  Agora, na F10, o interior vem mais moderno, com mais acabamento, sem aquele mesmo design que vem da Série 3 com iDrive até M6 em seus painéis. Pela razão, eu escolheria a F10, pela emoção, eu escolheria a E60. É um carro que anda muito parecido com as novas AMGs V8 biturbo (M157), a Mercedes se equiparou no quesito tocada em relação a BMW. Vai do gosto pessoal. A BMW teve que seguir as tendências, colocar os dois turbos e que parece que encaixou MUITO bem no belo 4.4l V8.Mas você, F10, carrega um peso.. a M5 completa 30 anos em VOCÊ...Mas eu ainda prefiro a V10... 

Meu Carro....Minha Paixão

Primeiramente queria agradecer a todos os leitores que comentaram, compartilharam, mandaram e-mails agradecendo pela minha última coluna. Agradeço também aos que criticaram, não concordaram com a minha ideologia. As criticas são sempre bem vindas. 

Neste texto, irei comentar sobre o caso de amor que homem tem com seu carro (não somente os homens, mas são maioria neste processo, conheço algumas amigas que também amam, curtem e entendem tudo sobre o seu carro).

Normalmente a paixão vem desde pequeno, ou, com incentivo do pai, ou, cresce por você mesmo. Eu posso dizer por mim, sempre gostei de carros, mas, meu pai incentivou bastante também. As escolhas vão mudando ao passar do tempo, mas a paixão por carro sempre continua. Antes de ter o seu próprio carro, você acaba curtindo o do seu pai/parente/amigo, às vezes, curte até mais do que eles.

Quando meu pai ia trocar de carro eu sempre queria estar junto, sempre opinava e ele sempre me ouvia, algumas vezes ele não realizava meus pedidos, mas sempre me escutava. E eu cuidava dos bólidos dele como se fossem meus, quantos sonhos eu já tive imaginando dirigi-los e eles estavam somente um andar à baixo!!!

Agora, quando nós temos nosso próprio carro, a paixão não muda, ela continua, ou melhor, ela aumenta. E são coisas que algumas pessoas que estão em volta de você não entendem, mas seus amigos entendem.. Sua mãe/irmã/mulher/pai falam: ''Mas poxa, isso é só um carro'', ou, ''Meu Deus, o que você gasta nesse carro dava para você fazer X coisa''.. ''Esse menino não para de ver vídeo na internet''... Nunca entenderão, mas aposto que a maioria das pessoas que estão lendo este texto irão entender.

Seu carro pode ser o patinho feio da turma, o que anda menos, ou, até o mais antigo, mas pra você ele sempre será o mais belo, você sempre vai procurar o traço/desenho/curva mais bonita nele para ficar olhando. Quando você encontra seus amigos, você chega com sorriso de orelha a orelha quando está dentro dele.

Quando quebra, vai para oficina, ou, revisão que seja e a sua ‘jóia’ fica mais de dois dias longe de você, o aperto do peito já começa. Você pensa ‘’Não tem graça sair sem O MEU CARRO’’.  Quando ele não está 100% bom, quando está faltando alguma coisa, você também não fica 100% feliz. Não é igual... 

Pode parecer loucura, mas conheço muita gente que é assim, muitos, inclusive, colocam até NOME no carro, Íris, Afrodite, Francesca, Juju e etc..

Mas o que importa é sempre amaremos nossos carros, ex-carros e sonharemos com nossos futuros carros. Todos que passaram por nós tiveram a sua importância e o tempo não irá substituir.

‘’Cada ‘carro’ que passa em nossa vida, passa sozinho, é porque cada ‘carro’ é único, e nenhum substituí o outro. Cada ‘carro’ que passa em nossa vida,passa sozinho, e não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós’’ – (Essa é uma frase de Charlie Chaplin, porém, eu substituí a palavra ‘PESSOA’ no texto e no seu lugar coloquei ‘CARRO’.

Espero que tenham gostado...Até semana que vem;

Abraços;

Eduardo Schkair -  (instagram @eduschkair)

Qualquer dúvida, crítica ou sugestões, enviem um e-mail para: eduardo@motorgridbrasil.com

O Real Valor Que Se Paga Num Superesportivo no Brasil

1000447_4933819261650_106516.jpg

Pessoal, essa é mais uma coluna para o Motorgrid Brasil. Desta vez irei falar de um assunto um tanto quanto polêmico, mas que a maioria já sabe. Ninguém sabe o quanto é DIFICIL ter um carro esportivo/luxuoso no Brasil, em outras palavras, um carro caro.

Nós não pagamos apenas pelo carro na hora de comprar, onde somos 'roubados' nos impostos. Fora do Brasil se compra uma AMG por quase 1/3 do preço e olha que estamos falando de uma marca onde o ganho em cada carro vendido não é tão grande assim como as outras. Nós continuamos pagando pelo automóvel ao longo do tempo, talvez por coisas que ninguém perceba, pois, infelizmente já entrou na rotina, já virou normal.

Você compra uma BMW versão M, sua família fica preocupada pelo fato do carro chamar atenção, ai, em alguns casos, você blinda o carro, judia do carro, não tanto quanto antigamente, hoje em dia a blindagem é feita através de mantas, o peso é muito reduzido. Mas quanto se paga por isso? R$60.000,00... R$70.000,00 a mais do preço do carro.. Aí depois começam as manutenções que um carro blindado tem. Barulhos internos, peças de desgaste estragam mais rapidamente, como amortecedor, pastilha de freio, molas e etc... E tudo isso que você troca não sai nada barato, tudo custa o olho da cara.

Mas ai vamos imaginar que você prefira NÃO BLINDAR o carro, ou que você compre uma Ferrari F430, um carro que somente um louco PENSARIA em blindar. Você paga um baita IPVA, em São Paulo chega a ser 4% do valor do carro. Mas pensa-se que as ruas estão em perfeitas condições, onde o carro esportivo poderia andar tranquilamente,  #sqn...

Você enfrenta buracos, lombadas enormes, valetas imensas, ruas desniveladas onde você tem que ficar desviando das ondulações e emendas feitas para tapar os buracos. Você tem que fazer todo um trajeto para desviar desses caminhos ruins e desviar do trânsito. Por mais que seja Podium, a gasolina do Brasil ainda não é a ideal para o carro, vou dar um exemplo, eu tenho uma BMW 335i e abasteci ONTEM (25/03/14) no Posto BR da Avenida Europa, em São Paulo. Dois minutos depois piscou a luz da injeção, o carro começou a falhar. Levei na oficina e constatou que estava com gasolina ruim.

Falando em oficinas, é MUITO difícil você encontrar uma de confiança, uma que o preço seja justo e que seja de confiança, diria que é quase impossível. Eu conheço algumas onde levo meus carros, mas são raros os casos, como Sport Garage e Frison.

Mas pensa que é só isso? Não!!! Temos a inveja!! Existem muitas pessoas que amam carros esportivos olham com prazer outra pessoa curtindo sua supermáquina, mas, existe MUITA gente com inveja. Muita gente que vai esperar você fazer uma m* para sair falando ou divulgando, pessoas que riscam o carro, como aconteceu em duas F360 Modena em São Paulo. Ou até um conhecido que possui uma 458 Italia e uma Carrera S 991, ele estava com a Porsche e levou duas fechadas, parando no farol ao lado do carro que lhe fechou, o condutor solta a frase: 'Gostou da fechada?' (em tom irônico).

A violência. Como eu falei anteriormente, você blinda um carro, mas ninguém, nem os blindados estão imunes à violência. Nós olhamos os índices de assalto aumentando cada vez mais e quem está num carro esportivo, blindado ou não, é cada vez mais o foco do assaltante. Antigamente era difícil você ver alguém ser assaltado numa Ferrari. Era difícil ver alguém ser assaltado numa Porsche, quanto mais ROUBAREM a Porsche... Pois é, de uns três anos para cá tem acontecido com certa frequência. Ou seja, você tem que sair para desviar dos buracos, das lombadas e dos bandidos....

Solução? Pegar estrada.... foi uma solução...Para terminar e o fator mais agravante que tem acontecido nos últimos tempos. Os donos que carros superesportivos/caros/luxusos são tratados como bandidos pela sociedade/polícia, claro, existem as exceções, mas, num geral, o proprietário de uma Porsche, Ferrari, Lamborghini, AMG, M-Power e etc, são tratados como bandidos, criminosos. Você acha que não? Pergunte a algum conhecido que tenha algum desses carros. Se você for viajar com três amigos, cada um em um carro, pode ter certeza que a chance de você ser parado e acusarem que você está praticando racha é enorme, como já aconteceu com alguns conhecidos.

E querem que eu fale a verdade? A situação não vai melhorar, vai cada vez mais piorar... VIVA O BRASIL! 

Eduardo Schkair

Sigam-me no instagram: @eduschkair

Qualquer dúvida, crítica ou sugestão, enviem um e-mail para eduardo@motorgridbrasil.com

Carros Que Eu Preciso Dirigir

Pessoal, a coluna dessa semana será sobre ‘Carros que eu preciso dirigir’. Todo ano eu farei uma coluna igual, pois, minha opinião e gosto podem mudar, assim como eu posso ter dirigido um desses carros. Então, acredito que esses carros poderão variar conforme o tempo.

Quem nunca teve um desejo de dirigir um carro especifico, sonhou em dirigir, pois é, uns sonham mais alto e outros sonham mais baixo. Aí vai minha lista, ela não está necessariamente na ordem de preferência:

Audi S6 C4: Eu sempre fui apaixonado por carros, mas este especificamente fez com que eu começasse a ESTUDAR sobre carros. Lembro-me até hoje, estava no Guarujá, com meus sete anos de idade e meu pai liga para eu descer e ver o que ele estava pensando em comprar. Quando eu vi, não acreditei, na hora implorei para que ele comprasse e ele respondeu ‘já comprei’. Um carro que marcou E MUITO para mim. Se um dia eu tiver condições, quero ter um desses na garagem, se possível o mesmo com placas C**-9999.

Ferrari 599GTO: Já tive a oportunidade de dirigir Challenge Stradale, F430, F360, 355F1, 599GTB, porém, um carro que fica na minha cabeça toda vez que vejo um vídeo, ou olho uma na rua. Da impressão de ser uma daquelas Ferraris puras, antigas, porém com um motor dos mais modernos e com uma das melhores tecnologias.

Mercedes-Benz SLR McLaren: Muitos criticam, muitos falam mal, mas eu sou apaixonado por este carro. Passa-se o tempo e o ela continua lá, na porta de todos os cassinos. Eu quero experimentar e ver se é isso mesmo que falam, eu duvido, ou melhor, prefiro não acreditar.

Ferrari F40: Ta aí, um dos carros mais puros e rústicos já fabricados pela montadora italiana. Não deve ser fácil de dirigir, muito pelo contrário, deve ser um cavalo indomável. Amigos que já tiveram a oportunidade de dirigir a F40 que está aqui em solo nacional me disseram que o turbo entra de uma vez, a frente levanta e a traseira rabeia, soa ruim? Para mim parece ser ótimo.

Lamborghini Murciélago LP640-4: Minha Lamborghini predileta, se tivesse que escolher, seria ela. Ela passa a impressão de estar sempre no limite, sempre acelerada, como um touro muito nervoso e pronto para atacar alguém. É sem duvida um dos meus maiores sonhos. Tenho MUITA curiosidade.

Porsche Carrera GT: Dizem que é a mais Ferrari das Porsches, motor central, um belo ronco, um design lindo. Não me passa brutalidade, força, como as outras Porsches, mas me passa sutileza e cuidado, também como as Ferraris.

Bugatti Veyron: Sonhar, nada custa né? Se nós andamos no passageiro de um Nissan GT-R com 700-800 cavalos e já ficamos com aquele frio na barriga, imagine dentro de um monstro desses. E o pior que você olhando de fora, sem entender ou saber do que ele é capaz, ele parece ser menos esportivo que uma Lamborghini. É um carro que me agrada mais que a concorrência, pelo fato de você conseguir ir ao mercado mais rápido que um helicóptero.

Shelby GT500 1967: Esse carro foi estrela de um filme que me marcou, 60 segundos, na minha opinião ele fez mais sucesso que o próprio Nicolas Cage e suas Ferraris/Porsches/Jaguar e etc.. Desde então eu sou apaixonado por este modelo. Se tem um Muscle Car que eu tenho vontade de dirigir é o Shelby GT500 1967.

Mercedes-Benz SL73 AMG (R129): Tivemos em casa uma SL320 R129, branca, foi meu primeiro carro de fato, eu usava esse carro para quase tudo. Eu amava esse carro, super equilibrado, agora imaginem uma SL73 AMG. Nós temos uma no Brasil, eu ainda vou descobrir onde este carro está. Dizem que está numa situação deplorável.

A Adorável Ferrari California T

Essa semana é bastante especial, uma vez que a Ferrari volta a fabricar seus carros sobrealimentados. Lembro-me de duas Ferraris, 288GTO e F40, dois hypercars da montadora. Obviamente, a California T, apresentada ontem, dia 12, não chegará aos pés destes modelos, porém, será um marco para história.

Falando esteticamente, podemos dizer que a California T é um facelift da California, assim como 575M da 550 Maranello. Mas as mudanças da 575 para 550 não foram tão drásticas quanto as das Californias.

Nunca escondi de ninguém que a primeira geração dela nunca me agradou, não achava um carro com cara de Ferrari, parecia um carro de passeio, ou até, um carro para mulher, com uma pessoa da alta cúpula da Ferrari do Brasil chegou a dizer certa vez.

Também nunca fui fã da 550 e continuei com o mesmo pensamento na 575M, pois as coisas que eu não gostava em uma continuava na outra. Com as Californias as poucas mudanças mudaram e MUITO o carro. Começando pela traseira, ficou maravilhosa. Aquele difusor traseiro juntamente com as quatro ponteiras na horizontal ficaram fenomenais.

Olhando rapidamente, o parachoque dianteiro dela parece bastante com o da 612 Scaglietti, nunca gostei dele, porém, na Calif. Caiu muito bem, basta olhar a evolução da antiga para a nova. O farol a lá F12berlinetta seguiu as novas tendências da montadora italiana.

O seu interior não teve muitas mudanças. E o mais importante, a motorização. A Ferrari pegou o mesmo motor da nova Maserati Quattroporte, o 3.8 V8 biturbo, só que neste carro ficou com 560 cavalos. O torque dela é coisa de outro mundo, 77 Kgfm, mais que a F12berlinetta, mais que a Enzo.

Eu concordo que um modelo da Ferrari tem que ter o motor biturbo e como a California é o menos tradicional deles, perfeito, de acordo. Mas eu não faria isso com a sucessora da 458, veja a Speciale, 600 cavalos em um motor V8 aspirado, eu tentaria outras formas de se adequar as novas leis de emissão, colocaria um motor elétrico junto para dar mais potência, mas continuaria com o V8 aspirado na sucessora da Italia.

Enfim, isso é discussão para outra coluna. O fato é que a nova California me agradou, gostei, tomara que pessoalmente seja igual o que eu achei pela internet. A Ferrari conseguiu mudar a péssima imagem que a antiga passava.

Até semana que vem;

Beijos e Abraços,

Sigam-me no Instagram.

Instagram

Eduardo Schkair / Motorgrid Brasil

''Audi Procura Novo Designer''

A5xA71.jpg

Após um mês fora, retomarei as colunas semanais. Esperto que todos tenham passado uma ótima virada de ano e que 2014 seja muito bom para nós.

Minha primeira coluna do ano não será sobre a Huracán, provavelmente a próxima sim, mas irei falar sobre a Audi. Será um assunto COMPLETAMENTE pessoal, uma opinião minha, uma critica minha.

A3xA4.jpg

De um tempo para cá eu tenho comentado bastante com um amigo, Filipe F., sobre os modelos da Audi, são TODOS iguais! A gente brinca quando passa um Audi na rua e tenta adivinhar qual é o modelo olhando de frente. Eu não sou a favor disso, nunca gostei. Se você olhar rapidamente, não saberá a diferença do A3 Sedan para o A4, do A5 Sportback para o A7 Sportback, do A6 para o A8...Fato, EU não gosto disso!

Não sei por qual razão eles estão aplicando essa ideologia, com certeza existe algum plano de mercado, algum fator financeiro, realmente eu não sei. Às vezes me coloco no lugar de uma pessoa que comprou um A8, ele se passa por A6 em vários momentos. Eu acho que tem que haver uma distinção clara de modelos, como fazem com R8.

A5XA72.jpg

Olhando por foto você até consegue notar algumas diferenças, pode até saber qual modelo se trata em cada foto. Mas na rua, olhando rapidamente, a missão fica mais difícil e MESMO ASSIM, alguns ainda não saberão dizer qual é qual até por foto.

Quero deixar bem claro que não estou questionando a qualidade dos produtos, que por sinal são ótimos. Eu sou um amante dos Audis, alias, foi por causa de um S6 1995 que eu comecei a REALMENTE passar de apaixonado para uma pessoa que estuda carros, histórias e etc.. Mas essa hisória fica para outra oportunidade.

A6xA8.jpg

OBS: Aproveitarei este espaço para deixar um feliz aniversário para o meu maior ídolo no esporte. Parabéns pelos 41 anos, Rogério Ceni.

Até semana que vem,

Qualquer dúvida, críticas e ou sugestões enviem um e-mail para: para: eduardo@motorgridbrasil.com

Um forte abraço, Eduardo Schkair


Instagram

Sigam-me no instagram ->>>

Os Melhores de 2013 - Minha Opinião

Porsche-911_GT3_2014_1600x1200_wallpaper_02.jpg

Pessoal, esta será minha penúltima coluna do ano, voltarei somente em janeiro. Então vou explicar como vai funcionar,  essas duas últimas  colunas ficarão como retrospectiva de 2013, dos modelos prediletos lançados e a próxima (semana que vem) eu irei escrever sobre os futuros modelos, os que serão apresentados em 2014.

2013 foi um ano de muitos lançamentos e irei comentar alguns deles, falarei os que eu mais me agradei.

Mercedes-Benz Classe S (500, 63 ou 65): Que carro!! Eu disse em uma coluna que eu acho a Classe S 2014 o melhor carro do mundo em produção. Continuo com essa afirmativa. Eu amo este carro! Uma pessoa que desembolsa um bom dinheiro e escolhe a Classe S, pode ter certeza que ela faz parte de um seleto grupo de pessoas que tem bom gosto.

BMW M3 e M4: Falando do carro em si, parece ser espetacular, hoje (dia 11/12) vazaram imagens oficiais dos dois modelos, os carros são simplesmente maravilhosos. Nunca fui fã da F30, porém, a linha M da F30 está me deixando de queixo caído. Faço somente uma ressalva: NUNCA DEVERIAM TER ACABADO COM A M3 COUPÉ !!!

Os Três Hypercars: Eu não poderia deixar de citar os três hypercars, Ferrari LaFerrari, Porsche 918 Spyder e McLaren P1. Os três são responsáveis por polêmicas e discussões em páginas da internet. Todos discutem que é o melhor e seus tempos em Nürburgring. Dentre os três, a LaFerrari é meu preferido. Só falta a Lamborghini se mexer e lançar um hypercar também (não Veneno e etc..)

Porsche Macan: Não sou maior fã de modelos de entrada em montadoras de luxo para acumular vendas. Mas, hoje o mercado exige isso e a Porsche acertou bem na escolha. O carro será um sucesso de vendas no mundo todo. A Macan Turbo deve ser um BELÍSSIMO carro e bem rápido. Vamos esperar o preço do modelo aqui no Brasil.

Ferrari 458 Speciale: Nunca podemos de deixar de lado um carro semi-pista da Ferrari.  Tive oportunidade de dirigir Challenge Stradale e 430 Scuderia, e o pouco que eu dirigi posso dizer que são dois carros espetaculares, agora, imagine o que virá na 458!!!!

Ford Mustang: O novo Mustang me agradou bastante, mesmo com somente imagens de divulgação, que não são as melhores. O carro tem uma frente bem agressiva, interior modernizado e com melhor acabamento. Também tenho certeza que será um sucesso de vendas, assim como todas as outras gerações de Mustangs.

Nissan GT-R Nismo 2014: Podemos chama-lo de milagreiro. Olha o que esse carro em Nürburgring!! Tem a melhor volta de todos os tempos (carros de produção e de rua). O GT-R 'normal' já me agrada, acho que não tem necessidade de kits para 800cv, 900cv... um 'Kit Padaria' já está perfeito (Chip, Filtro e Escape) e o carro não dará dor de cabeça nenhuma.

Mercedes-Benz GLA45 AMG: É um carro para bater de frente com a Audi RSQ3, e na minha opinião? Vai passar por cima! Eu sou fã da Q3, mas essa GLA45 AMG é apelação. Um carro sem concorrentes!! Normalmente, a BMW faz uma ou duas versões da Série 3 que não tem concorrência (era a 335i E9X e agora a 328i F30), a Mercedes fez isso com a GLA45 AMG, não existe concorrente.

Porsche 991 GT3: Alguns (MUITOS) reclamaram que o carro mudou para o câmbio de dupla embreagem (PDK), eu gostei da mudança. Acredito que não existe uma pessoa que não goste dos 911 GT3, eu particularmente prefiro ela do que as Turbo e Turbo S. É sem dúvida um dos melhores lançamentos de 2013. OBS: Conversando com alguns amigos, proprietários de carros esportivos, a maioria escolhei a 991 GT3 como o lançamento de 2013.

Outros bons lançamentos de 2013: Jaguar F-Type Coupé, BMW Série 2, Corvette Stingray, Mercedes-Benz CLA45 AMG e A45 AMG e o novo Golf.

Semana que vem irei publicar os carros que eu estou aguardando para 2014; 

Enquanto isso vejam imagens dos carros escolhidos por mim... Qual seria sua escolha para os melhores de 2013? 

Até semana que vem;

Espero que a Lamborghini não tenha lançado ainda a Huracan(Cabrera) e a Mercedes-Benz a Classe C 2014

Beijos, Eduardo Schkair

Clique no Link embaixo e me siga no Instagram

Instagram

Qualquer duvida, crítica ou sugestão, enviem um email para eduardo@motorgridbrasil.com

O Amado Mustang Mudou !

Ford-Mustang_GT_2015_1600x1200_wallpaper_1e.jpg

O meu assunto da coluna desta semana seria a morte de Paul Walker, mas, o acidente já foi muito comentado (e ainda está sendo), logo, vou deixar esse triste fato para as páginas de notícias.. Hoje de manhã, tive a grata surpresa ver fotos do novo Ford Mustang 2015.

Antes de falar do carro em si, eu queria comentar sobre a popularidade deste carro. É uma coisa incrível!! Após a notícia ser dada pelo Motorgrid Brasil e compartilhada por mim através da minha página pessoal no facebook, recebi várias mensagens particulares sobre o carro, pessoas que entendem e pessoas que nem tem tanta experiência com carros.

Os carros esportivos norte-americanos sofrem bastante preconceito dos ‘’entendidos’’, alguns não gostam por questão particular e pessoal, mas outros não gostam por simplesmente preconceito. Mas entre as pessoas que simplesmente CURTEM esportivos, eles estão entre os mais desejados e no topo da lista está o Mustang.

Ele é um mito, há muito tempo no mercado fazendo sucesso e sem precisar mudar de nome! Eu acredito que isso é muito importante para a popularidade do carro ser alta, vou tentar explicar. As pessoas que não estão tão antenadas nas noticias e últimos modelos lançados acabam se perdendo com a grande demanda de novos veículos, novos nomes e desenhos como por exemplo: ‘’Conheça Ferrari F12berlinetta, sucessora da 599GTB’’. Se por um acaso a pessoa não ler esta noticia e depois de um ano ver esse carro na rua, vai se perguntar ‘’Qual Ferrari é essa?’’ ou se alguém falar ‘’A F12berlinetta é linda!’’, o desatualizado vai perguntar, ‘’mas o que é F12berlinetta?’’’.

Quando se mantém o mesmo nome é mais fácil, quando se fala em MUSTANG as pessoas já imaginam o desenho do carro e suas características. Se elas encontrarem a versão 2015 na rua, ela vai saber que é um Mustang e vai saber o que mudou do antigo para o novo. Isso facilita e cria uma certa popularidade para o carro.

As fotos de divulgação nunca são as melhores para avaliar um carro, mas eu gostei do design, a dianteira ficou mais moderna, a lateral mais arredondada, o capô com os dois vincos caíram muito bem. A traseira eu achei bastante inclinada, não gostei muito, mas vamos esperar para ver pessoalmente. O interior ficou muito legal, bem moderno. Parece ter dado um toque a mais de acabamento (que é tão criticado em Muscle Cars).

Uma coisa que não posso esquecer é a suspensão traseira independente!! É o primeiro Mustang da história que vem esse tipo de suspensão. Isso com certeza dará mais handling para o carro. Coisa que antes, há muito tempo, só se via em carros off-road.

Ford-Mustang_GT_2015_1600x1200_wallpaper_42.jpg

Vejam imagens do carro e apreciem:

Um grande abraço para um amante de Mustangs, Gabriel Fraige !

Até semana que vem

Qualquer dúvida, críticas ou sugestões: eduardo@motorgridbrasil.com

Instagram: @eduschkair

Eduardo Schkair