Relatório de veículos vendidos no Brasil aponta falta de recursos de segurança

Crash.jpg

As montadoras estão tendo um sucesso generalizado de venda de veículos no Brasil, mas milhares de brasileiros morrem a cada ano em acidentes automobilísticos que os especialistas atribuem a uma combinação de veículos inseguros e condições de condução muitas vezes perigosas, de acordo com um relatório da Associated Press.

Muitos veículos vendidos no Brasil tem habilidade inferior e materiais precários, de acordo com o artigo. Um engenheiro de uma grande montadora dos EUA que foi entrevistado para o artigo afirmou que sua empresa não conseguiu implementar recursos de segurança mais avançados em carros vendidos no Brasil, porque eles não eram obrigados. O engenheiro falou sob condição de anonimato por medo de ser demitido, de acordo com o artigo.

As Montadoras disseram à Associated Press que eles estão aderindo às leis do Brasil e em alguns casos, indo além do que os órgãos reguladores exigem. Mas satisfazer os regulamentos de segurança do Brasil, é mais fácil do que cumprir tais normas de outros países, de acordo com o artigo. O Brasil, por exemplo, vai começar a exigir airbags frontais e freios ABS em todos os carros a partir do próximo ano, recursos que as nações mais desenvolvidas já exigem, de acordo com o relatório.

Em testes de segurança feitos por um piloto independente do Programa de Avaliação Latin New Car Assessment Program, os modelos mais baratos de quatro dos cinco melhores carros vendidos no Brasil receberam UMA das cinco possíveis estrelas, de acordo com o artigo. Isso significa que os veículos oferecem pouca proteção em graves colisões frontais em comparação com os carros que recebem quatro ou cinco estrelas, quase o mínimo perto dos veículos que os consumidores americanos e europeus compram.

De acordo com o relatório, "9.059 ocupantes morreram em acidentes de carro no Brasil em 2010, em comparação, nesse mesmo ano, 12.435 pessoas foram mortas nos EUA em acidentes de carro, levando em consideração que a frota de veículos de passageiros nos EUA é CINCO vezes maior do que a do Brasil", o relatório AP disse. "O resultado: os brasileiros vítimas de acidentes automobilísticos, proporcionalmente, morreram quatro vezes mais do que em acidentes envolvendo mortes nos EUA".