Coluna do Filipe Frayha: Ferrari F40

F40 Exterior.jpg

A maioria dos Jornalistas que tiveram a oportunidade de testar a mítica Ferrari F40 consideram a melhor Ferrari de rua de todos os tempos. Fato, esse, que se torna ainda mais interessante se notarmos que antes do seu lançamento, em 1987, os supercarros, principalmente os italianos, traziam normalmente grandes motores V12 aspirados, ao contrário do relativamente pequeno motor V8 com 2 turbos que equipava a F40.         

Antes de seu lançamento o carro destaque no cenário mundial era o super complexo Porsche 959. Tendo o inicio de seu desenvolvimento em 1983, o Porsche 959 tinha superado a 288 GTO, a então Ferrari top de linha. Como uma comemoração ao 40º aniversário da marca, Enzo Ferrari respondeu com a F40, um carro com um foco completamente diferente do 959 no quesito engenharia.

Trazendo design assinado por Leonardo Fioravanti, a F40 foi a última Ferrari completada sob o olhar de Enzo. A produção inicial de apenas 300 unidades foi radicalmente aumentada, sendo produzidas 1315 unidades até a produção ser encerrada em 1992. A Ferrari desenvolveu o primeiro carro em produção a passar da marca dos 320km/h, um supercarro que era puro, perigoso e emocionante.

F40 pista.jpg

Muitos a consideram como um carro simples, seu interior espartano, trás apenas o necessário para a pilotagem, incentiva as pessoas a pensaram assim, porém essa aparente simplicidade é melhor caracterizada por outro substantivo: Pureza. Sendo extremamente bem desenvolvida, a F40 trazia compostos de fibra de carbono, kevlar e alumínio em seu monobloco. Outro destaque era o V8 de 2.9 litros com duplo comando de válvulas e virabrequim de superfície plana (os chamados flat plane). Produzia perto dos 500 bhp, o que em conjunto com seus míseros 1104 kg, trazia uma relação de incríveis 2,2 kg/HP. Junte isso ao fato do carro não contar com ABS, direção hidráulica, airbags, servo-freio, ou mesmo rádio de série e verá como os engenheiros italianos conseguiram criar uma máquina pura, com apenas um objetivo: Andar rápido.

F40 Interior.jpg

Mesmo sendo um carro leve e muito bem equilibrado, a Ferrari F40 não é um carro fácil de ser dirigido quando levada ao limite, principalmente em curvas. Claro que nas retas as coisas ficam mais fáceis: Aperte firmemente o pedal do acelerador, espere o conta giros atingir a marca de 3500-3750rpm e sinta os turbos te empurrarem como um chute do Roberto Carlos no meio de seu peito. A embreagem pesada e o cambio dogleg de 5 marchas em conjunto com o lag acentuado do turbo não facilitam sua vida na hora de pilotar esse clássico. Quando manuseada com respeito, a F40 mostra uma impressionante aceleração, essa aprimorada por um dos maiores atributos do carro: A direção super direta e precisa.

Depois de ligada, o barulho do turbo se sobressai em relação ao som do motor, a não ser que seu exemplar esteja usando um escapamento esportivo, e a partir de agora você deverá ser cuidadoso para manter a fera no caminho correto. Faça tudo do jeito certo e tenha certeza que terá uma das melhores experiências no mundo automobilístico, afinal estamos falando de um Cavallino Rampante. E poucas máquinas são tão emocionantes, vívidas e intensas.

F40 Motor.jpg

Logo abaixo você poderá assistir um vídeo onde Tiff Needle, apresentador do programa Fifth Gear, testa a Ferrari F40.

Até semana que vem.

Filipe Frayha