Coluna do Borracha: Uma Questão de Equilibrio

Finalmente começou o que promete ser o mais sensacional campeonato de todos os tempos. A MotoGP teve sua noite gala no Qatar, onde a força da Honda entrou em rota de colisão com a renovação da Yamaha.

Independentemente de ser um novo campeonato, onde as motos pouco mudaram do ano passado para esse, o importante é saber que os melhores começaram com o pé direito e já estão se destacando.

Como eu previa na coluna anterior, o Valentino Rossi realmente começou com tudo. As dúvidas a respeito da condição do Marc Marquez também foram sanadas, o menino que ainda esta em recuperação do acidente em que quebrou a perna, entrou na pista pra mostrar que, se não esta 100%, como ele mesmo diz, está próximo disso.

A corrida foi épica, sensacional e emocionante. O pega entre os dois maiores protagonistas atuais das duas rodas deixa claro o que vai ser o campeonato desse ano. Mesmo a vitória conquistada por Marquez nas últimas curvas, não tiram o mérito de um novo Valentino, pilotando uma moto mais com a sua cara e que, é sim candidato ao título do ano.

A parte triste ficou com a transmissão para o Brasil da corrida. A emissora que é dona dos direitos preferiu transmitir em seus canais outros esportes. A falta de consciência dos programadores que, apenas olham o futebol e outros esportes menos interessantes e deixam de lados as competições motorizadas, faz com que os anunciantes e incentivadores comecem realmente a abandonar o segmento. Então surge a pergunta: se não gostam, não querem e tratam com desdém, por que compram? Para dizer que tem? Para não dar chance a outros? A cabeça arcaica e primitiva dos donos de concessões públicas como a televisão no Brasil, mostra que são muito amadores. Nos EUA os canais procuram se equilibrar em eventos e outras atrações, se não vão dar conta abrem mão para outros canais, isso se chama equilíbrio de mercado, isso se chama competição saudável, o que aqui não é o caso, quem é dono coloca na gaveta, quem não é tem medo de pegar. Parece que é mais interessante saber da vida dos outros do que ser testemunha de uma grande conquista.

Equilíbrio também é o que a Fórmula 1 começa a buscar nesse fim de semana na Malásia. Na terra onde o avião sumiu porque mudou a rota, as equipes chegam procurando achar o caminho para o ano de 2014. Muito se espera da Red Bull e do atual campeão Vettel. A equipe tem que dar uma resposta muito convincente nessa corrida, a Renault tem que mostrar recuperação, os pilotos têm que apresentar novas armas, até pelo fato de não acontecer a polarização que aconteceu nos últimos anos, mas continuo com a convicção de ser a Mercedes, motor e equipe, os grandes donos do baralho.

Eu volto na próxima coluna para falar de tudo que aconteceu na etapa malaia.

A gente se encontra na semana que vêm!

 Beijos & queijos